Nas margens do rio Bósforo ergue-se a antiga capital dos impérios Bizantino e Otomano.

Cidade vibrante e com alma, Istambul é a capital “honorária” – porque a verdadeira capital do país é Ancara – de um reino ainda hoje exótico.


É a única cidade no mundo que fica entre a Europa e a Ásia e é impossível não ficar rendido aos seus encantos.

Comecemos pelo centro histórico, Património Mundial da Humanidade.

Em Sultanahmet situam-se os principais monumentos, herança de outras épocas. Vista de fora a Mesquita Azul tem pouco desta cor.

É preciso entrar – depois de o visitante se descalçar e de as mulheres taparem o cabelo – para se deixar maravilhar pelo enorme templo, o único na cidade com seis minaretes, e pelos mosaicos azuis.

Mesmo em frente, com um jardim a separá-las, fica a Basília Sofia, ou Haghia Sofia, que significa “Sagrada Sabedoria”.

É um dos mais imponentes monumentos da cidade, construído para ser a catedral de Constantinopla. Reza a História que Justiniano I, quando em 537 inaugurou o templo, não se conseguiu conter e exclamou: “Salomão, superaste-te a ti mesmo!”.

A poucos metros fica o Palácio Topkaki, mandado construir por Mehmett II, o Conquistador, logo após a tomada de Constantinopla.

Durante mais de três séculos foi a residência de sultões e não é de estranhar que o seu enorme harém seja uma das atrações a visitar, bem como uma rica coleção de jóias.

Também deste lado do rio guarde umas horas para fazer compras no Grande Bazar e no Bazar das Especiarias. Dizem que o primeiro é o maior mercado coberto do mundo, com mais de quatro mil lojas e 65 galerias.

Neste edifício do século XV encontra-se de tudo um pouco, desde candeeiros, a tapetes e jóias. Bem mais organizado do que o das Especiarias, é um bom local para se iniciar na arte de regatear.

Os produtos não têm os preços marcados, e é provável que o vendedor lhe diga que o que procura custa várias vezes mais do que a realidade.

A partir daqui deve fazer uma contraproposta até chegar a um valor que lhe pareça justo.

Já o Bazar das Especiarias, um dos maiores e mais antigos da cidade, é ao ar livre e aqui vai ter um verdadeiro gostinho de como são os mercados muçulmanos.

Tudo se vende, desde comida e especiarias – deixe-se deliciar pelos cheiros dos kebabs, da sopa de lentilhas ou do peixe a fumegar – a roupa, mobiliário e animais.

Pelo mercado pode descer-se até à mesquita de Rusten Pasa, mais pequena que a Azul, mas também encantadora.

Istambul é uma cidade que se tem reinventado ao longo dos séculos e basta atravessar a ponte de Gálata, que une as duas margens da urbe, para se sentir que se aterrou num verdadeiro centro cosmopolita.

Primeiro pare para observar a vista sobre o rio, depois siga caminho ou apanhe uma espécie de elétrico até Beyoglu, a zona mais moderna da cidade, até entrar na famosa rua Istiklal, uma enorme avenida cheia de pessoas, lojas, restaurantes e movimento, que vai desembocar à praça Taksim.

Aqui encontram-se uma série de bares e restaurantes, com comida típico e internacional.

É também o sítio por excelência para se sair à noite, e a verdade é que nos últimos anos se tornou numa das mais famosas da Europa.

Não deixe ainda de fazer um passeio de barco pelo Bósforo. Dura algumas horas e vale a pena pelos palacetes e pela vista.
 

Descontos que vão até aos 50% na sua próxima estadia em Istambul