600 anos antes do nascimento de Cristo, os povos gregos, provindos de Phocée (actual Turquia), fundaram Massalia. 

A cidadela datada dessa época estende-se pela margem norte do Vieux-Port e, concentrado à sua volta, subsiste um conjunto de vestígios da mesma altura.

 

Na Idade Média, a cidade alargou as suas muralhas e foi dotada de construções religiosas importantes, como a abadia de Saint‑Victor, fundada no século V, ou a Catedral Notre Damede la Major, cuja edificação data do século XII.

No início do século XVII, Luís XIV ordenou a construção do arsenal das galeras e, assim, a cidade transpôs a Canebière (artéria principal da cidade) e abriu ruas rectilíneas, onde foram erigidos belos hotéis.
 
Desde o primeiro terço do século XIX, empreenderam‑se obras monumentais, tais como a escavação do canal de Marseille (para trazer água à cidade), ou a estação para acolher a linha ferroviária Paris‑Lyon‑Mediterrâneo, em 1848.
Grandes avenidas foram construídas por ocasião da abertura do novo porto de comércio, parecidas com as de
Paris.

A cidade entrara num período glorioso e faustoso de construções, como a da Nossa Senhora de la Garde, do Palácio de la Bourse ou do Palácio Longchamp.

No início do século XX, a vida trepidante de Marselha concentrou‑se na actividade portuária da Canebière.

Nesta famosa avenida reina uma intensa animação graças aos grandes cafés da época, famosos por serem os mais belos do Mundo, e onde se encontram inúmeros negociantes e armadores.

Encontram‑se aí também grandiosos hotéis de luxo, onde pernoitam personagens célebres, provindas do mundo político, económico e artístico.
 
Após a destruição dos bairros antigos, durante a Segunda Guerra Mundial, a cidade é privada de uma parte do seu património.

A margem norte do Vieux‑Port será inteiramente reconstruída na década de 50.
 
A época contemporânea apegou‑se à reabilitação de edifícios antigos, tais como os Docks (antigos entrepostos) e a antiga fábrica de tabaco. Marselha solicitou os serviços de grandes arquitectos para construir a cidade, tais como Zaha Hadid, Jean Nouvel ou Massimiliano Fuksas.